• Afonso Martins

O que é um investimento ESG?

Em uma conversa essa semana, escutei de um colega que a empresa a qual ele trabalha está desenvolvendo um programa de ESG e que a partir do próximo mês a empresa faria doações para duas ONGs como investimento em ESG.

Pensando fora da caixa. O que é exatamente um investimento ESG?


O termo ESG, embora com uma proporção enorme, é, ainda, um termo muito novo para a maioria das pessoas. Muita gente já conhece o termo, consegue associar à sustentabilidade, mas poucas pessoas fazem a correta relação do termo ao mercado financeiro.


Quando falamos de investimentos ESG, há uma tendência das pessoas misturarem os conceitos que já tinham sobre investimentos. A situação que foi apresentada no início desse texto é um exemplo claro de como o conceito ainda não é entendido pela maioria das pessoas.


É extremamente importante que se conheça cada tipo de capital e que se tenha as estratégias muito bem definidas, Só assim é possível criar condições para que o investidor tenha ideia do retorno que ele terá como também evita de colocar a organização em uma situação de green ou social washing, termo que já falamos algumas vezes aqui.


Para falar sobre esse assunto, reproduzo abaixo o diagrama do espectro de capitais, elaborado pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).


Na primeira linha há uma definição dos tipos de investimentos e nas linhas abaixo uma definição do que se espera de cada tipo de investimento.

Inicialmente temos descrito um “investimento apenas financeiro”, podemos dizer que esses são os investimentos tradicionais, bem conhecidos do mercado, onde não são considerados as questões ambientais, sociais e de governança. O foco desses investimentos são apenas gerar retornos financeiros competitivos.


No final da tabela, vemos um investimento exclusivamente de impacto. Esses investimentos não tem como objetivo gerar algum retorno para os investidores. O foco é criar algum impacto social e/ou ambiental. Podemos incluir aqui a situação que narramos ao iniciar esse texto.


Para que o investimento seja ESG ele precisa estar classificado, além da coluna impacto, nas colunas “Responsável”,“ Sustentável”, ou seja, precisam ser investimentos que geram valores. Esses investimentos tem como meta gerar resultados para os investidores seja a curto, médio ou longo prazo, ao mesmo tempo em que geram “impacto socio-ambiental”.


Não estou dizendo que um investimento ESG é melhor que uma doação para ONGs. Bato palmas para as empresas que atuam diretamente com entidades de assistência por meio de doações, reconheço a importância que essas ações têm para muitas organizações e comunidades. Mas, voltando à nossa defesa, é muito importante que separemos bem esses perfis de investimentos , pois as cobranças existentes em cada um deles são bastante diferentes.


Separando corretamente os objetivos de cada investimentos, sabemos o que esperar deles e temos condições de criar ações para que alcancemos nossas metas.


Seja sempre bem vindx ao Papo Sustentável.

317 visualizações