• Afonso Martins

Que tipo de pessoa é você quando surgem os problemas?



Há uma série de problemas na vida. É como se estivéssemos o tempo todo saltando de uma frigideira à outra, na esperança que uma delas esteja fria o bastante para podermos descansar. Sim, nós corremos uma dificuldade após outra. O problema está sempre conosco. Às vezes conseguimos resolver um problema exercendo nossos maiores esforços, isso nos deixa felizes. Mas às vezes falhamos, e então estamos tristes. Isso acontece tanto no ambiente empresarial como na nossa vida pessoal.

Cada um de nós tem uma maneira de lidar com os problemas. Quando analisamos essas maneiras como as pessoas enfrentam os seus problemas, descobrimos quatro tipos principais:

O tipo negativo, desesperado – É o tipo de pessoa que sempre se acha incapaz de resolver os seus problemas por considerá-los muito grandes. Não correm atrás das soluções por não acreditar que vai conseguir.

O tipo que sempre põe a culpa em alguem – É o tipo de pessoa que nunca reflete sobre a real causa do problema e está sempre culpando o seu colega de trabalho, o seu patrão ou outra pessoa qualquer. Tem sempre a mania de se colocar em posição de vítima. É um covarde, incapaz de assumir o seus erros e procurar a melhor solução para o problema.

O tipo avestruz – É o tipo mais comum de pessoas. Estão sempre com a cabeça enfiada na areia e acham que os seus problemas não podem ser resolvidos. Elas não têm desejo de resolver os seus problemas e preferem acostumar-se com eles.

O tipo que procura solucionar os problemas - É o tipo de pessoa que encara os seus problemas da melhor maneira possível, não os aceita e busca alternativas para que eles sejam solucionados.

QUE TIPO DE PESSOA É VOCÊ? COMO VOCÊ TEM SE COMPORTADO NOS SEUS DESAFIOS PROFISSIONAIS E PESSOAIS?

Eu li uma história sobre um aluno de Mozard, um grande compositor e pianista austríaco, que me chamou a atenção. A história descreve bem a nossa capacidade de enfrentar os nossos problemas, ou aquilo que pensamos ser um problema.

"Conta-se que Mozart tinha um jovem aluno de música, muito dedicado, que sonhava em ser um grande músico. Esse aluno, ao final de cada aula, se aproximava de Mozart e perguntava:

Maestro, o senhor acha que eu já estou pronto pra escrever minha primeira sinfonia?

A resposta de Mozart era, invariavelmente, a mesma:

Ainda não, meu jovem. Tente um gênero mais fácil primeiro. Escreva um minueto.

E, assim, passaram-se meses. Sempre a mesma pergunta. Sempre a mesma resposta.

Um dia, cansado de ser desestimulado pelo grande mestre, o aluno revoltado depois de ouvir a mesma resposta, resolveu protestar:

Mas, mestre, o senhor fez a sua primeira sinfonia com apenas nove anos. Então, por que fica me dizendo que eu não sou capaz de fazer uma sinfonia, sendo que já estudei tantos meses com o senhor?

Ouvindo o questionamento, Mozart encarou o aluno, sorriu e respondeu calmamente:

Você tem razão, eu fiz a minha primeira sinfonia aos nove anos. Mas, havia uma marcante diferença entre nós. Eu não fiquei perguntando a ninguém se eu já estava pronto para fazê-la. Fui lá e fiz. Eu me sabia pronto."

Enfim, acredite em você. Assuma seus erros, errar é possível e através dos seus erros você pode obter uma grande lição. Não responsabilize os outros pelos seus problemas. Não aceite os seus problemas como algo natural. Busque novas formas de encarar os problemas e crie soluções inovadoras que façam do seus problemas um trampolim para o sucesso, seja profissional ou pessoal.

#desenvolvimento #sustentabilidade #planejamento

4 visualizações

Afonso Matos Martins

Editor do blog

Engenheiro Ambiental, Engenheiro de Segurança do Trabalho, Especialista em Engenharia da Qualidade para Engenharia da Produção, MBA em Gestão Empresarial.

Please reload

Rede pessoal

  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Social Icon