• Afonso Martins

Sustentabilidade por escolha ou imposição natural



Como pode ser realizado a transição para o desenvolvimento sustentável?

Há diversas formas pela qual pode acontecer a transição para um desenvolvimento sustentável. Falamos muito que a Sustentabilidade tem se tornado uma obrigação para muitas empresas, porém essa obrigação está ligada às exigências apenas mercadológicas. Digamos que, apesar de acontecer sobre determinada pressão, esta mudança de comportamento para a sustentabilidade é menos traumática para a sociedade, porém o seu desenvolvimento é lento e cheio de falhas.

Qual seria a transição mais traumática?

Uma transição que seja forçada por efeitos de fenômenos catastróficos, que obrigaria uma reorganização de todo o sistema.

Qual seria a transição mais traumática?

A transição por escolha.

A mudança para sustentabilidade pode, ou deve, ser uma escolha que cada cidadão deve ter. Atualmente muitas empresas, por escolha, já optaram pelo desenvolvimento sustentável e como consequência das suas escolhas muitas outras empresas viram-se obrigadas a desenvolver um programa que se alinhe a rede de negócios instituída pela corporação que escolheu a sustentabilidade.

A mudança por escolha nasce de uma mudança cultural, econômica e política que, de forma progressiva, reorientam as atividades dos mercados, o que acaba caindo na situação que falamos no início deste texto.

Se temos de considerar essas alternativas, devemos pensar da forma mais positiva e agirmos para que sejamos levados na direção mais favorável para o mundo. Devemos escolher a sustentabilidade antes de sermos atingidos por grandes desastres naturais que nos obrigarão a escolhê-la, caso consigamos sobreviver.

As possibilidades de uma transição por escolha têm como principal fundamento a definição de ações para redução de consumo dos recursos naturais que corresponda, também, com a manutenção ou aumento do bem-estar social. O desenvolvimento do bem-estar social sempre esteve muito associado ao aumento da disponibilidade de produtos e de matérias primas. O que se espera é romper esse elo de ligação entre o bem-estar social, produtos disponíveis e consumo dos recursos.

A ruptura dessa ligação também pode ser promovida seguindo os caminhos traumáticos ou menos traumáticos, conforme os dois cenários que já apresentamos, na verdade essa ruptura está muito ligada à escolha pela sustentabilidade. Para que isso ocorra, prevalece a necessidade da inovação, tendo como principais princípios a eficiência e a suficiência. Falaremos um pouco sobre isso na próxima postagem.

O custo do cuidado é sempre menor que o custo do reparo. (Marina Silva)

#sustentabilidade #desenvolvimento

19 visualizações

Afonso Matos Martins

Editor do blog

Engenheiro Ambiental, Engenheiro de Segurança do Trabalho, Especialista em Engenharia da Qualidade para Engenharia da Produção, MBA em Gestão Empresarial.

Please reload

Rede pessoal

  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Social Icon