• Afonso Martins

Erros que devem ser evitados na elaboração de um planejamento



O planejamento é o primeiro passo a ser realizado ao se iniciarmos qualquer tipo de negócio. Já temos falado sobre isso e possivelmente falaremos inúmeras outras vezes. Planejar é essencial.

Planejar vai muito além de apenas definir onde se quer chegar, é preciso dizer quando, como, que recursos serão necessários, etc.

Planejamento estratégico é um processo de selecionar oportunidades e obter vantagens da empresa com os desafios do ambiente, além de projetar e construir o futuro” – Pascale

Veja a seguir 5 erros muito comuns cometidos por gestores ao realizar o planejamento estratégico e como evitar que eles aconteçam.

1. Não fazer análise correta da situação atual

Não é possível criar ações eficazes para melhoria se não se sabe o que se quer melhorar. É preciso uma análise real e fiel da situação atual em que a empresa se encontra pra, a partir daí, elaborar o planejamento.

O conhecimento da situação atual pode ser realizado de diversas formas. O importante é que no final da avaliação o diagnóstico traga dados capazes de serem analisados.

2. Não fazer análise dos cenários externos

Não adianta conhecer muito bem todos os fatores internos da empresa e desconhecer os fatores externos que podem influenciar no negócio. Imagine, por exemplo, que você tenha um ótimo projeto, muito bem elaborado, porém, por descuido, deixou passar uma restrição legal que impediria a livre comercialização no Brasil. Pode ser o fim de tudo o que parecia perfeito.

3. Não estabelecer responsabilidades

A falta de definição de responsabilidades é um dos maiores erros que pode se ter na elaboração de um planejamento. Não adianta ter um plano de excelência se não tem definição clara de quem executá-lo ou mesmo deixar sob responsabilidade de pessoas sem capacitação para tal.

Uma das melhores ferramentas para definição clara das ações do planejamento é o 5W2H. todas as informações podem, ou devem, ser colocadas juntamente numa planilha de forma clara e objetiva.

Veja exemplificação conceitual abaixo:


4. Estabelecer metas muito amplas e/ou subjetivas

A definição das metas deve levar em consideração os dados que estão sendo medidos. Não adianta criar grandes metas em cima de dados precários sem que haja uma definição muito clara do que será feito para superá-los. As metas precisam ser elaboradas de acordo com todo o conhecimento e análise das situações internas e externas. As metas precisam ser as mais objetivas possíveis. Tente responder de forma clara e sucinta, onde, como e quando quer se alcançar o seu objetivo. É diferente eu estabelecer a meta de” Diminuir 10% do consumo de energia” de “Diminuir 10% do consumo de energia em 2017 com adequação de sistema de iluminação. ”

5. Não medir dados e resultados

É necessário a definição de indicadores de desempenho para se conhecer o andamento do que se foi planejado. Não há como mudar os resultados, porém com o conhecimento de como as coisas estão indo é possível fazer modificações para que o desempenho seja melhorado e no final alcance os objetivos definidos. É preciso que se conheça tanto os dados quantitativos como também os qualitativos de um projeto, para que seja possível tomar ações baseadas em dados concretos.

Não limite seus sonhos! Alcançá-los só depende do seu planejamento.” – André Suhanov

#Sustentabilidade #estratégia #planejamento

33 visualizações

Afonso Matos Martins

Editor do blog

Engenheiro Ambiental, Engenheiro de Segurança do Trabalho, Especialista em Engenharia da Qualidade para Engenharia da Produção, MBA em Gestão Empresarial.

Please reload

Rede pessoal

  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Social Icon